Cofecon prestigiou entrega do Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional

5 de dezembro de 2017|notícias|0 comments

Em sua quarta edição, o Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional homenageou o geógrafo brasileiro Milton Santos. O presidente do Cofecon, Júlio Miragaya, participou da cerimônia de entrega da premiação, realizada nesta terça-feira, 5 de dezembro, na sede do Ministério da Integração Nacional, em Brasília.

O objetivo do Prêmio é promover a reflexão, do ponto de vista teórico e prático, acerca do desenvolvimento regional no Brasil, envolvendo o poder público e a sociedade civil organizada na discussão e na identificação de medidas concretas para a redução das desigualdades de nível de vida entre as regiões brasileiras e a promoção da equidade no acesso a oportunidades de desenvolvimento.

Foram premiados pesquisadores em seis categorias: Produção do Conhecimento Acadêmico; Práticas Exitosas de Produção e Gestão Institucional; Projetos Inovadores para Implantação no Território; Amazônia – Tecnologia e Inovações para o Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA); Centro Oeste – Desenvolvimento para a Faixa de Fronteira; e Nordeste – Inovação e Sustentabilidade.

Em seu discurso, o presidente do Cofecon destacou que os economistas brasileiros se guiam mais pelos valores de Celso Furtado do que pelos valores dos economistas do mercado financeiro e leu um trecho do livro “Formação econômica do Brasil”, que destaca a concentração de renda regional como um fenômeno universal e, uma vez iniciada, sua reversão é praticamente impossível. “O Celso Furtado disse isso quando lançou o livro. Infelizmente, 57 anos depois, é como se tivesse escrito hoje porque a realidade brasileira pouco se alterou. Há poucos dias foi divulgada a Pnad Contínua e o que vimos é que o Brasil permanece como o país das desigualdades”, observou Miragaya.

Entre as autoridades presentes na cerimônia, estavam o secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, Mário Ramos Ribeiro; o secretário de Desenvolvimento Regional, Marlon Cambraia; e o diretor-presidente do Centro Internacional Celso Furtado, Marcos Formiga; além de parlamentares e representantes do Banco do Brasil, do Banco do Nordeste, do Banco da Amazônia e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).